Por que Letras?

17:53 6 Comments A+ a-



Tem interesse no curso de Letras ou curiosidade de saber como ele é? Vale a pena dar uma olhadinha aqui!

Como está sucintamente exposto na minha descrição, eu sou estudante de Letras, mais especificamente caloura do curso de Letras - Português e Inglês, na Universidade Federal do Paraná. Se você tem algum interesse nessa graduação e quer saber mais sobre o curso, ou simplesmente é curioso e gostaria de saber como é a vida de um estudante de Letras, este post pode te dar alguma luz, a partir do quê me motivou a fazer essa escolha e das impressões que estou tendo em meu primeiro ano na universidade.

O principal motivo de eu ter escolhido Letras foi porque amo livros. O que não quer dizer necessariamente que todo mundo que goste de livros esteja inclinado a seguir esse caminho. Eu só tenho a esperança de poder trabalhar com algo que me permita estar cercada, se não pela literatura em si, pela leitura e pela escrita. Como também está na minha descrição, meu sonho é ser uma escritora, mas formar escritores não é o intuito do curso de Letras (algo que precisa ficar claro). Como conseguir ser uma escritora reconhecida é algo muito difícil, porém, eu precisava de uma segunda opção que ao menos se assemelhasse ao que eu queria.

A maioria dos cursos de Letras possui apenas a modalidade de Licenciatura, que tem como seu objetivo principal formar professores. Aqui em Curitiba, a única instituição de ensino superior que oferece a opção de Bacharelado para o curso é a UFPR (o que foi mais um incentivo para que eu me esforçasse para conseguir a vaga). A minha intenção não é ser professora, embora a ideia não esteja totalmente descartada (nunca se sabe como serão as coisas no futuro), então escolhi fazer Bacharelado. Essa opção, na federal, oferece três tipos de ênfase: em estudos linguísticos, em estudos literários e em estudos da tradução. Eu me matriculei na última.

Aí você pode se perguntar: se você gosta tanto de literatura, porque não escolheu a ênfase em estudos literários? Bom, é um pouquinho mais complicado do que isso. Até onde eu sei, essa opção envolve estudo, pesquisa e aprofundamento nas obras, mas não há exatamente uma profissão para quem se forma nessa área. Por outro lado, eu sempre gostei muito de línguas estrangeiras, especialmente Inglês. E não seria uma ótima ideia poder ser tradutora de livros, lê-los antes da maioria das outras pessoas? Bom, eu provavelmente estou apenas acrescentando mais um sonho à lista, já que não tenho ideia se vou conseguir fazer isso algum dia ou se quer se vou conseguir um emprego numa editora. Mas pelo menos terei a formação para seguir esse caminho.

As aulas específicas de cada ênfase só começam a partir do terceiro período, no entanto (que será no primeiro semestre do ano que vem, se não tivermos greve e tudo der certo até lá), e enquanto isso todos os alunos estão tendo basicamente as mesmas disciplinas obrigatórias, independentemente da modalidade que escolheram. Como é o meu primeiro ano, o conteúdo tende a ser mais introdutório. Não posso dar uma visão geral do curso inteiro a vocês a esse ponto, apenas uma visão geral do que eu tive até agora, o que de toda forma pode ser de grande interesse, especialmente para aqueles que não têm muita noção do que se aprende nesse curso (como costumava ser o meu caso).

Bom, no primeiro período nós tivemos as disciplinas de Linguística I, Língua Portuguesa I, Teoria da Literatura I, Literatura Grega I: Épica e, no meu caso, Inglês Básico. A federal oferece várias opções de língua estrangeira como segunda habilitação (embora seja possível também optar apenas pelo Português), como Espanhol, Francês, Italiano, Alemão, Grego e Latim, Japonês e até Polonês.

Devo dizer que Literatura Grega Épica foi, sem dúvidas, a minha favorita. Eu sempre gostei de mitologia grega, o que se acentuou muito quando comecei a ler Percy Jackson (que, aliás, é uma das minhas séries de livros preferidas), e já havia lido Ilíada e Odisseia no ensino médio, em suas versões adaptadas. Dessa vez tive que ler ambas na versão traduzida diretamente do original, em versos. Eu simplesmente adorei! Analisar as grandes primeiras obras da literatura ocidental foi maravilhoso e, graças ao meu interesse prévio pelo conteúdo, tive a maior pontuação da turma (que foi também a minha melhor nota final).

Em Língua Portuguesa I, além de aprendermos a fazer uma resenha de livro (certinha, em estilo acadêmico), fomos introduzidos às noções básicas da Linguística e das principais teorias da Linguística que existem. Eu não fazia ideia do que era Linguística antes, então suponho que você também não saiba: é o estudo científico da linguagem e das línguas. Alguns conceitos incluem: aquisição da linguagem, como ela se estrutura e como funciona, quais são as semelhanças e diferenças entre as várias línguas do mundo e etc. Eu achei tudo muito interessante. Fui bem na matéria também.

Linguística I já foi um bicho de pelo menos umas 5 ou 6 cabeças, para ser sincera. O conteúdo era Fonética e Fonologia que, para resumir, são os estudos dos sons da fala. A matéria misturou um pouco de biologia (anatomia do trato vocal) com física (ondas sonoras). Pois é, e eu achando que tinha me livrado disso! De certa forma, é uma matéria mais exata, com termos bastante pontuais. Descobri algo tão ruim quanto a tabela periódica: o IPA, Alfabeto Fonético Internacional, e precisei de muito esforço, mas consegui passar na matéria (ufa!).

Teoria da Literatura I também foi bastante complexa. Nós estudamos teóricos e críticos literários e suas concepções de literatura. Mas a verdade é que, pelo menos no ponto em que estou, é muito complicado definir com clareza até mesmo os gêneros literários. Fizemos também várias análises de contos, que foi a parte mais legal. E no final, mesmo com alguns nós na cabeça, consegui ir bem na matéria.

O que eu tenho a dizer sobre Inglês Básico é que não é nada básico, está bem mais para nível intermediário. Eu já tinha certo conhecimento da língua antes de entrar na universidade, o que me ajudou, mas algumas pessoas que não o tinham, acabaram desistindo da dupla habilitação. É uma imersão completa e, se você não sabe nada de Inglês, vai acabar bem perdido mesmo. No mais, porém, eu gostei muito da matéria.

Estou agora no comecinho do segundo período, e o número de matérias já passou para 7, o que deixa tudo mais corrido (se você tem alguma ilusão de que não vai ter uma pilha de textos para ler na universidade, especialmente no curso de Letras, acho melhor ir abrindo os olhos para a realidade desde já). Inglês se dividiu em Língua Escrita I e Língua Oral I; em Linguística II estamos aprendendo Morfologia, que é ligeiramente mais fácil do que Fonética e Fonologia; em Língua Portuguesa IV, o assunto é Sintaxe (desculpa, mas acho uma chatice hahaha); em Teoria da Literatura II, passamos à análise de poesia, que é um pouquinho mais complicado, porém divertido, e Literatura Grega foi substituída pela Latina, lírica ao invés de épica, mas estou curtindo da mesma forma. A aula a mais que eu tenho é de IPC, ou Iniciação à Pesquisa Científica, que não é específica de Letras (creio que todos os cursos a possuam). Nela a gente aprende, basicamente, a fazer pesquisa e trabalhos acadêmicos.

Esse foi um resumo de todas as disciplinas obrigatórias. Ainda não tive tempo de pegar nenhuma optativa (que se chamam optativas, mas nós precisamos cumprir uma carga horária obrigatória delas. É, nem tudo faz sentido).

Para concluir, gente, nenhum curso é perfeito. Como vocês viram, eu reclamei de algumas matérias acima, como todo bom calouro (e aluno em geral) faz. Mas a verdade é que estou AMANDO o curso, com todo o meu coração. Já foram várias as vezes em que eu estava em sala e o(a) professor(a) disse algo que me fez pensar que estou aprendendo justamente aquilo que queria, e sou muito grata por isso. Continuo ansiosa e interessada pelo que virá a seguir. Sei que todo o esforço valerá muito a pena.

E enfim, espero que o post tenha ajudado ao menos um pouquinho aqueles que buscavam maiores informações sobre o curso. Se tiverem alguma dúvida, não hesitem em vir falar comigo. Podem deixar um comentário no post ou me contatar por e-mail. Estou à disposição ;)

6 comentários

Write comentários
Andressa Z.
AUTHOR
4 de setembro de 2016 19:24 delete

Sempre considerei muito o curso de letras. Adoro estar rodeada dos livros, mais ou menos que nem o Mo, de Coração de Tinta. O que me impediu foi exatamente isso, nem sempre é sobre livros e histórias. Envolve muito conhecimento linguístico, do qual eu pessoalmente me orgulho muito de ver você falando desse jeito porque sei que se esforçou muito para estar aí! Foi um post bem esclarecedor, eu não sabia de todas essas coisas. De qualquer forma, como tu disse, todo curso tem suas partes ruins, mas a gente consegue aproveitar bem as boas, então tudo bem! Estou ansiosa para te ver na carreira de tradutora e me contando os spoilers dos livros que virão por aí haha

Reply
avatar
Beatriz
AUTHOR
4 de setembro de 2016 19:54 delete

Adorei ler sua opinião sobre o curso, Tami! Apesar de eu não ter sentido o mesmo, é muito legal ver a visão de quem está amando. Para falar a verdade, não importa que Letras não tenha sido meu sonho, porque, no fim das contas, foi esse curso que me permitiu conhecer você e todos nossos amigos lindinhos! Estou ansiosa para os próximos posts :D
Beijinhos, Beatriz.

www.odiariodeumaescritorainiciante.blogspot.com.br

Reply
avatar
Tamiris
AUTHOR
27 de dezembro de 2016 15:58 delete

Ah, o Mo <3 kkk Mas pois é, há uma divisão entre o pessoal que gosta mais de literatura e o pessoal que gosta mais de linguística, mas todos precisam enfrentar ambas xD Muito obrigada, Seths, principalmente por ter me acompanhado por todo o processo até chegar aqui. Com certeza estou aproveitando, independentemente das partes chatinhas haha E amém! Que os nossos planos deem certo ;) <3
xx

Reply
avatar
Tamiris
AUTHOR
27 de dezembro de 2016 16:01 delete

É que também vai muito dos gostos e expectativas de cada um, né Bia? Mas ter você como coleguinha de curso no primeiro semestre do ano foi incrível, aprendi muito com você e ter sua amizade é o mais importante! Obrigada por me apoiar e incentivar com esse blog hehe
xx

Reply
avatar
11 de março de 2017 20:50 delete

Oi Tamiris,

Minha primeira graduação é em Letras e eu escolhi por causa de Literatura. Meu sonho é trabalhar em editoras avaliando obras, tendo contato com autores e participando de todo processo que envolve lançar um livro. Ainda não consegui isso, porque onde moro não existe editoras literárias. Faço alguns trabalhados de revisão, mas não dá pra viver disso, infelizmente.

Depois fiz dois anos de Tradução e agora migrei para Jornalismo, por causa das possibilidades. Se bem que nenhum dos cursos que escolhi o diploma é obrigatório. Qualquer um que tem conhecimento pode exercer, mas enfim. Espero poder ter sucesso nas minhas escolhas e desejo o mesmo para você. :)

Bjs, @dnisin
www.sejacult.com.br

Reply
avatar
Tamiris
AUTHOR
13 de março de 2017 14:52 delete

Oi, Denise!
Ahhh que lindo, adoro conhecer pessoas que cursam, cursaram ou querem cursar Letras também :3 Que pena que não há editoras literárias! Quero trabalhar em uma também. E sim, imagino que só com revisão a gente não consiga muito :/
Estou no terceiro período agora, e comecei a estudar tradução, que é a minha ênfase. Estou gostando bastante até agora! Já pensei em fazer jornalismo também, mas acabou que não me identifico tanto assim com o curso.
Muito obrigada, De. Também desejo que você consiga ter sucesso em suas escolhas e que um dia consiga realizar o seu sonho! Estamos juntas nessa ;) haha
xx

Reply
avatar